terça-feira, 14 de julho de 2015

Despedida do modal bicicleta.

Pelo menos da maneira que venho usando nos últimos 30 meses.

Esta é minha última semana como ciclista urbano. Na verdade, do ciclista diário, que usa sua magrela como modal de transporte.


Acontece que assim que trocar a aliança de dedo eu mudarei de cidade, mas continuarei no mesmo emprego e endereço. O confortável deslocamento diário de 12 km ida e volta será de 80 km. Tá, daria pra brincar de ir pedalando uma vez por semana, “SE” não houvesse uma Dutra e uma marginal no caminho, fora o risco de assaltos. Serei um usuário do transporte público e do carro. A partir do ano que vem, da motocicleta.

A bicicleta se tornará um instrumento apenas de lazer, para usar nos finais de semana. Uma alternativa será deixá-la na casa de minha mãe e fazer parte do percurso pedalando - terça e quinta, por exemplo. Porém, isso inviabiliza o uso dela a lazer todos os finais de semana. Ao mesmo tempo, a casa de mams seria uma boa “base” para cicloviagens, pois está do lado do metrô, que sempre me levou aos extremos da cidade pra pegar estrada. Porém eu cicloviajo muito pouco, coisa de uma vez por semestre e trechos curtos. CARAJO!

O negócio é não pensar, mas deixar acontecer. E tomar cuidado com a pele do frango, com o bacon… afinal agora não terei como queimá-los imediatamente.

Tô muito feliz com tudo o que tem acontecido comigo, deixar de utilizar o melhor meio de transporte do mundo diariamente não será fácil, mas pensando no quanto minha vida tem melhorado e irá melhorar, será um prazer acordar sábado cedinho e pedalar a lazer.

Que venha a vida!